segunda-feira, 8 de junho de 2015

A ÚLTIMA CEIA

Lição 11

A Ceia do Senhor Jesus, é uma das Festas mais solene da Igreja, de muitíssima
importância. A sua importância relaciona-se com o passado, o presente e futuro.
É a adoração cristã, instituída pelo Senhor Jesus na véspera de Sua morte expiatória.
Tornou-se um meio de graça pelo qual somos incentivados a uma fé mais viva e a uma
fidelidade maior para com Ele. É um memorial da morte de Cristo no calvário, para
redimir os crentes do pecado e da condenação. É um ato de ação de graças pelas
bênçãos e salvação da parte de Deus, provenientes do sacrifício de Cristo na cruz por
nós (Mt. 26:27,28; Mc 14:23; Lc 22:19
A Comemoração
"fazei isto em memória de Mim" (Lc22:19). Cada vez que um grupo de cristãos se
congrega para celebrar a Ceia do Senhor, estão comemorando de um modo especial a
morte expiatória de Cristo, que os libertou do pecado.
Para entender o significado completo da Ceia do Senhor, temos que examinar
cuidadosamente o que Jesus falou e fez na ceia última ceia com seus discípulos.
Todas as fontes bíblicas dizem a mesma coisa sobre o que Jesus fez quando ele
começou a ceia (veja Mateus 26:26; Marcos 14:22; Lucas 22:19; 1 Coríntios 11:23-24).
Ele fez três coisas:
1. Ele pegou o pão
2. Ele agradeceu a Deus
3. Ele partiu o pão
Curiosamente, como vemos em Marcos 6;41 e Marcos 8:6, ele fez as mesmas três
coisas quando ele alimentou os cinco mil e os outros quatro mil.
De acordo com os quatro relatos da última ceia, o que ele disse quando pegou o pão foi
"este é o meu corpo". Há diferentes opiniões sobre o significado preciso dessas
palavras. Mas, o que é certo é que Jesus estava indicando que ele daria o seu corpo em
sacrifício para que nós tivéssemos vida.
"FAZEI ISSO EM MEMÓRIA DE MIM"
De cara, essa instrução pareceria o jeito que Jesus encontrou de dizer aos seus
seguidores que repetissem essa ação como um sacramento, ou uma cerimônia religiosa,
através dos tempos.
Mas, como essa ordem só é encontrada em Lucas 22:19 e 1 Coríntios 11:24, algumas
pessoas argumentam que o Senhor não tinha a intenção que aquela atitude fosse
repetida. Será que este argumento está correto? Provavelmente não.
Nós temos que lembrar que todos os evangelhos foram escritos quando o partir do pão
já era uma prática comum na vida da igreja. Mateus e Marcos, no entanto, podem ter
achado desnecessário expressar a intenção de Jesus com essas palavras. Mas mesmo
entre os cristãos que concordam que Jesus queria que seus seguidores observassem a
ceia do Senhor como algo contínuo, há diferentes opiniões quanto a interpretação dessas
palavras.
Na igreja católica romana, por exemplo, "faça isso" foi interpretado como "ofereça
isso", e a palavra "em memória" foi entendida como se indicando uma representação do
sacrifício de Cristo perante o Pai. Portanto na teologia católica, a comunhão é uma
espécie de repetição da morte de Cristo. É considerado um sacrifício. No entanto,
protestantes tem considerado geralmente uma outra visão.
Para os protestantes, a comunhão não é para repetir o sacrifício de Cristo, mas para
relembrar com gratidão que Cristo nos amou a ponto de morrer por nós.
Sua importância no Passado:
É um ato «memorial» (gr. anamnesis) da morte de Cristo no Calvário, para nos remir da
condenação (Lucas 22.19; 1 Cor 11.24-26). «...Fazei isto em memória de mim...». Este
é um importante elemento na Ceia do Senhor Jesus. Trata-se de uma memorial em face
de tudo quanto Cristo foi e fez pelos homens, sobre tudo em sua expiação. Umas das
funções da Ceia do Senhor Jesus é de fazer-nos lembrar a redenção que possuímos
através de Cristo, que estende potencialmente a todos os homens, tal como a páscoa
levou a nação de Israel a lembrar-se de sua redenção da servidão no Egito.
Já antes de instituir a Santa Ceia, Jesus Cristo na presença de seus Apóstolos disse: “ Na
verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não
beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos”. (João 6.53). Carne e sangue
são uma clara alusão à Santa Ceia. Igualmente são importantes as demais indicações do
Senhor:
“O que come de minha carne e bebe do meu sangue tem vida eterna (...) Quem come a
minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia...
Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.”
(João 6.54, 56).
Nos evangelhos sinóticos podemos ler que Jesus Cristo na festa da Páscoa celebrou uma
comida com seus Apóstolos, Mateus 26.26 explica como o Senhor instituiu a Santa
Ceia: “E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos
discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo”.
Enquanto que o informe do Evangelho de Marcos é muito similar ao de Mateus no
informe do Evangelho de Lucas se acham os seguintes textos adicionais: “...fazei isto
em memória de mim” e “Este é o cálice do novo pacto em meu sangue”.
Com as palavras: “Fazei isto em memória de mim”, o Senhor confere a seus Apóstolos
o envio e a autoridade para celebrar a Santa Ceia da mesma maneira que Ele.
A Santa Ceia tem significados comemorativos, instrutivos e inspiracionais. Além disso
promove a ação de graças e a comunhão.
1 – Comemora porque o Senhor disse: “Fazei isto em memória de mim” (Lucas 22.19).
2- É instrutiva porque simbólica, através do uso de objetos sagrados, a lição da
encarnação de Cristo (os elementos físicos: vinho e pão).
3- é inspiracional porque celebrá-la nos lembra que por fé recebemos os benefícios de
Sua morte e Ressurreição. Ao fazê-lo nos identificamos com sua morte e ressurreição.
4- Nos motiva à ação de gtraças (“euscharistia”).
5- a celebração da Santa Ceia nos brinda a oportunidade de estar na comunhão
(“koinonia”) com o Pai, com o Filho e com nossos irmãos. A Santa Ceia reconhece e
proclama o Novo Pacto (“He kaine diatheke).
CALVINO E A SANTA CEIA
Calvino mostra que a Santa Ceia é objeto da bondade de Deus. Este Deus que supre as
necessidades físicas dando o alimento físico para o corpo é Aquele que
alimenta espiritualmente também.
Há também um mistério muito grande e incompreensível nesta afirmação de que na
Ceia se tem comunhão com o corpo e o sangue de Jesus Cristo.
A Ceia do Senhor foi instituída para firmar e selar as consciências humanas às
promessas contidas no Evangelho. Promessas estas que fazem do homem participante
do corpo e do sangue de Cristo. E também para dar a certeza de que Cristo é O
Verdadeiro alimento espiritual e levar o homem a certeza da Salvação.
Também é utilidade da Ceia o exercício de reconhecer a grande bondade de Deus para
com o homem e assim O magnificar com maior afinco. A Ceia exorta a uma vida de
santidade e pureza , por que aquele que participa é feito membro de Cristo, e também ao
amor fraternal que é recomendado.
Estas são as finalidades da Ceia ser realizada hoje dentro das igrejas evangélicas, sendo
considerada como uma marca da igreja verdadeira.
QUAL O USO VERDADEIRO DA CEIA?
Qual o uso legítimo da ceia? Este ponto visa mostrar como se deve observar este
sacramento do Senhor que é tão importante. Muitos têm ao ministrar a Ceia a tratado
com menosprezo e descuido, sem nenhuma preocupação em obedecer as ordens do
Senhor. Estes abusam da Ceia e a contaminam.
Nada há abaixo do céu e acima da terra mais valiosos que o sangue e o corpo de Cristo.
Por isso Paulo exorta o exame de si mesmo para o seu bom uso. Se houver a
preocupação da Ceia ser ministrada como o Senhor deseja, o erro será evitado.
Ao contrário dos papistas que entendem a missa como um sacrifício do sacerdote, os
evangélicos acreditam que o certo é que a morte e paixão de Cristo é o único sacrifício
pelo qual tem sido satisfeita a ira de Deus e tem sido dada aos homens uma justiça
eterna, e além disso, que o Senhor Jesus entrou no santuário celestial, para comparecer
ali pelos homens intercedendo por todos eles, com ação de graças.
Os evangélicos também reconhecem que a Ceia comunica o fruto desta obra, porém não
pelos méritos de participação na ceia, senão pelas promessas que por meio dela são
dadas, sempre que as recebem com fé.
Os evangélicos não acreditam na transubstanciação, mas que os sinais visíveis retêm sua
verdadeira substância representando a verdade espiritual que já foi falada.
A Bíblia diz que devemos celebrar a Ceia até que Jesus volte. Quando uma pessoa
participa da Santa Ceia, está demonstrando que acredita no sacrifício de Jesus (verso 26-
leia também João 13:4-17). Portanto, todas as pessoas têm o direito de demonstrar que
crê e aceita o sacrifício de Jesus em sua vida.
A IMPORTANCIA DA SANTA CEIA
Sua importância no Presente: A Santa Ceia expressa a nossa «comunhão» (gr. koinonia)
com Cristo e, de nossa participação nos benefícios oriundos da Sua morte sacrificial e
ao mesmo tempo expressa a nossa «comunhão» com os demais membros do Corpo de
Cristo (1 Cor 10.16,17). A Santa Ceia, a mesa do Senhor Jesus é o lugar onde Cristo, o
hospedeiro, se encontra com os remidos, é a mesa onde os dons preciosíssimos são
dados e recebidos. É o lugar onde Cristo se identifica com a necessidade humana, a
verdadeira necessidade, a necessidade da alma. A Santa Ceia é o símbolo da nossa união
com Cristo. É o sinal externo e visível de uma graça interna e invisível.
Sua importância no Futuro: A Santa Ceia é um ato que antevê a volta iminente de Jesus
Cristo para arrebatar a Sua Igreja e, um antegozo em podermos participar com Cristo, na
Ceia das Bodas do Cordeiro (esta Ceia não é literal, mas figurada, espiritual, mística,
pois lá (no reino celestial) não existe nem pão e nem suco de uva, (Luc 22.17,18,30;
Apoc 19.9).
O QUE JESUS DISSE NA ÚLTIMA CEIA?
Segundo o que podemos ler nos quatro evangelhos, na última ceia Jesus falou sobre
vários temas. Na última ceia Jesus disse por exemplo que deveríamos comer pão e
tomar vinho para relembrarmos a sua morte pelos nossos pecados.
Jesus falou sobre a última Páscoa
"Desejei ansiosamente comer esta Páscoa com vocês antes de sofrer. Pois eu lhes digo:
Não comerei dela novamente até que se cumpra no Reino de Deus". Lucas 22:15-16.
Jesus explicou o significado do pão e do vinho
Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o, e o deu aos seus discípulos,
dizendo: “Tomem e comam; isto é o meu corpo”. Em seguida tomou o cálice, deu
graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: “Bebam dele todos vocês. Isto é o meu
sangue da aliança, que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados".
Mateus 26:26-28.
Jesus previu a traição de Judas
"Digo-lhes que certamente um de vocês me trairá, alguém que está comendo comigo”.
Eles ficaram tristes e, um por um, lhe disseram: “Com certeza não sou eu!” Afirmou
Jesus: “É um dos Doze, alguém que come comigo do mesmo prato. O Filho do homem
vai, como está escrito a seu respeito. Mas ai daquele que trai o Filho do homem! Melhor
lhe seria não haver nascido. Marcos 14:17-21.
Jesus falou sobre quem era o maior
Depois de uma discussão entre os discípulos sobre quem era considerado o maior entre
eles, “Os reis das nações dominam sobre elas; e os que exercem autoridade sobre elas
são chamados benfeitores. Mas, vocês não serão assim. Ao contrário, o maior entre
vocês deverá ser como o mais jovem, e aquele que governa, como o que serve. Pois
quem é maior: o que está à mesa, ou o que serve? Não é o que está à mesa? Mas eu
estou entre vocês como quem serve. Vocês são os que têm permanecido ao meu lado
durante as minhas provações. E eu lhes designo um Reino, assim como meu Pai o
designou a mim, para que vocês possam comer e beber à minha mesa no meu Reino e
sentar-se em tronos, julgando as doze tribos de Jesus previu a negação de Pedro“Simão,
Simão, Satanás pediu vocês para peneirá-los como trigo. Mas eu orei por você, para que
a sua fé não desfaleça. E quando você se converter, fortaleça os seus irmãos”. Mas ele
respondeu: “Estou pronto para ir contigo para a prisão e para a morte”. Respondeu
Jesus: “Eu lhe digo, Pedro, que antes que o galo cante hoje, três vezes você negará que
me conhece.” Lucas 22:31-34.
Jesus falou sobre ser glorificado
“Agora o Filho do homem é glorificado, e Deus é glorificado nele. Se Deus é
glorificado nele, Deus também glorificará o Filho nele mesmo, e o glorificará em
breve.“Meus filhinhos, vou estar com vocês apenas mais um pouco. Vocês procurarão
por mim e, como eu disse aos judeus, agora lhes digo: Para onde eu vou, vocês não
podem ir.” João 13:31-33.
Jesus deu um novo mandamento
“Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês
devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos,
se vocês se amarem uns aos outros”. João 13:34-35.
Somos mais que privilegiados ao ser convidado pelo Senhor Jesus para participar de sua
mesa.
Prof. Pr. Adaylton de Almeida Conceição – (Th.B.Th.M.Th.D.)
BLOG: www.adayltonalm.spaceblog.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário